29 de novembro de 2012

Andrômeda







Meu amor vai
para Andrômeda.

Aos poucos
me despeço
apartando a alma
do corpo.

Meu amor vai
para Andrômeda.

Aqui ele não
é feliz
e as estrelas
que acumulei no olhar
despencam aos poucos
escurecendo meus olhos
castanhos.

Parece estranho
mas um dia
o olharei
a olho nu
e estudarei
astronomia
para enfim 
entender do amor.


17 comentários:

Bípede Falante disse...

O meu vai navegar pelo meu céu, aprender as minhas nuvens,catalogá-las com novos nomes, talvez, dê a elas títulos de livros, o meu vai ser um livro, ou muitos. O meu amor vai navegar por mim, aprender meus caminhos, catalogar os meus nomes, talvez, me dê um novo.
O meu amor vai me surpreender :)
beijoss

Tania regina Contreiras disse...

Que bom, Lelena...:-) Eu ainda não sei paqra onde vou, se vou, mas pelo jeito vou só...rs...Ele vai para Andrômeda, eu ainda preciso descobrir minhas galáxias internas. Olharei ele a olho nu ou com um binóculos...:-)
Beijos,

José Carlos Sant Anna disse...

Tânia,
Não force a barra, mas o melhor é não deixá-lo ir...
beijo,

Tania regina Contreiras disse...

José Carlos, a liberdade de ir ou vir é que faz a vida ter sentido...Que vá! :-)
Beijos

Joelma B. disse...

ainda bem que a poesia ainda faz uso do astrolábio...rs!

via estrelada,teu poema!

beijo, querida!

Lu Cidreira disse...

Não sou nenhum técnico para referenciar sobre os versos alheio, mas, eu gosto desse negocio de viajar em astrologia para chegar ao AMOR. Isso torna a viajem mais excitante.
Bravo
Aplausos e de pé.
Abraço

Eleonora Marino Duarte disse...

eu vou para Andrômeda!


Tanita, que poema!!!


um beijo.

cirandeira disse...

Para Andrômeda, para a lua, para as
nuvens, para além do arco-íris, ou
para qualquer lugar, o importante
é que estejamos sempre buscando-o!
E quando esse amor é cheio de poesia como o teu, não há dúvidas:
ele já encontrou o seu lugar!!!

beijos, Poeta!!!

Eleonora Marino Duarte disse...

meu bem, levei você para um planeta secreto...
pode?

http://morabili.blogspot.pt/

um beijo.

Rita Contreiras disse...

Creio que essa viagem é para dentro,num lugar chamado coração, muito profundo, muito nosso, que ao chegarmos lá nospovoamos de nós mesmos e só ao voltar do mergulho poderemostrocar sutilmente com os outros o que trouxemos na bagagem. quem tem olhos para ver verá;quem já fez a viagem sentirá com o coração que vc esteve por lá...

Ira Buscacio disse...

ainda que nenhuma ciência teorize, ainda que seja invencionice de gente para explicar o que não tem explicação, esse sentimento chamado amor, e somente ele, é o que nos separa da bestialidade
Tânia, os teus poemas, sempre, não me levam pra Andrômeda, mas para as viagens mais alucinantes da pele
Obrigadíssima, poeta

Assis Freitas disse...

o amor vai a andrômeda, arcturus, sírius, o amor vagueia em vias, lácteos, líquidos ou etéreos sopros astrais,


beijo

Primeira Pessoa disse...

é, taninha, o amor... ele é essencial e é para poucos, que sabem valoriza-lo, e que não dão bolo no amor - mas vão ao seu encontro -, e não o transformam em válvula de escape para o egoismo e para a vaidade.
o amor é pra quem o eleva, pra quem se devota a ele e para quem se dá.
mas, como to fora do mercado ha tanto tempo, nem tenho muito o que dizer, além do que já foi dito.

dito isto, eu afirmo: existem muitos tipos de amor.

tem até amor de irmão nascido do ventre de outra mãe, como é este que sinto por você - moça tão leal, parceira, tão devota, tão amiga que é -....



beijão,
r.

eurico portugal disse...

quem o entende, taninha?
e, ainda assim, quem nos entende, taninha?

são estas as verdades que temos presas ao pulso, com um cordel fino, a pedir-nos para voar, que nos definem... normalmente pela ausência, pela negação, pelo que se adia e jamais se completa.
lá em cima, as estrelas bailam e riem nas cicatrizes que nos nascem na pele.

beijo grande!

Tatiana disse...

Tania, saiba que as estrelas que caem do teu olhar formam outra brilhante constelação nos olhos de quem te lê a olho nu.
Beijo estrelado pra ti!

M. disse...

Estudar astronomia para entender o amor. Bonito!

Domingos Barroso disse...

as estrelas cegam
e cegos admiramos
com mais cores
e sustos

quem de longe
também nos olha
...


beijo carinhoso,
Tânia.