19 de fevereiro de 2017

Matizes da ausência





Arte:pablo saborio





Comum que me encontre nas palavras, na poesia, mas não podia esquecer que haveria de me encontrar em outras linguagens da Arte. Hoje, sem querer, bem casualmente, dei se cara com essa imagem e me reconheci instantaneamente. Nunca havia acontecido. O pensamento foi imediato: Essa sou eu! E a imagem depois inpirou-me o poema. E, claro, vou pesquisar sobre o artista. Quero saber quem é ele.
Matizes da ausência
(Tânia Contreiras)
Se eu fosse
Óleo sobre tela
Aquarela
Música
Poesia
Se eu fosse
Relâmpagos
Vaga-lume
Estrume
Chão
E
Flor
Se eu fosse
Cor
Matizes
Ausências
Linguagem
Primordial
Se eu fosse real
Não saberia existir.

15 de fevereiro de 2017

Abençoadas máculas





Arte:Kim Noble





Borremos
A tela
Erremos
Na mão
- Na mancha,
A salvação.

14 de fevereiro de 2017

Paraíso infernal

















Um paraíso
Tem que ter
Mar e amar
Ler e não saber
Achar que sabe
E duvidar da chave
Que abre fácil a porta
Um paraíso
Tem que ter
Abalos sísmicos
Areias movediças
Duvisosas justiças
Nuncas e para sempres
Tem que ter
Fogo
Agonia
Disritimia
Coitos
Azias
- Um paraíso
É um inferno.

Transvendo







Era
Um sorriso
Comercial
E uma voz
Sedutora
Ignorei
O produto
Fixei no olhar
Por detrás do
Brilho inventado
E perguntei que
Dor era aquela
Espremida no
Fundo castanho
- O homem estranho
Chorou feito criança.