19 de outubro de 2013

Presente de Bruxo






Presente de Bruxo é precioso: obrigada, poeta!


índia

  (Para Tânia Contreiras)
 
 Domingos Barroso


Olha, apaguei a luz do quarto
para te escrever este poema
pois do escuro gostamos
e não temos medo -

na cabana,
águas em volta,
entidades felizes.

O que tu puseste
em meu cálice,
senhorita?

Como se agora
eu ouvisse teu coração
a festejar o dia de amanhã.

Não sei o que tu misturaste
ao meu vinho - ácido
ou lírios?

Sei que a luz do quarto apagada
mais lúcido e doce vejo em volta
os meus objetos dormindo felizes.

São todos loucos
de almas curiosas.

11 comentários:

Leonardo B. disse...


[ah, os poetas

que das palavras que para os tolos são delírios,
aos poetas sabem-lhe bem segredos da alquimia da vida;
da e por essa mesma palavra, pela singular palavra, vivem...]

um duplo e imenso abraço,

Lb

jorge pimenta disse...

néctar lírios no banquete da poesia - grande poema e dedicatória merecidíssima à qual desde já me associo.

abraço-vos ambos, tânia e domingos!

Joelma B. disse...

Adorável dedicado, Taninha! E você merece todos os chamegos de lira...

Beijos aos dois queridos!

José Carlos Sant Anna disse...

Loucura, essa escuridão com um bruxo!
Mas sei que você não tem medo porque no poema há tanta luz e você merece a luz que se irradia do poema.
Grande abraços para os dois!

Ira Buscacio disse...

carinho de bruxo é sempre magia

na humanidade de Taninha cabe toda poesia do mundo, essa moça é imensa.

bjs, meu queridões, Taninha e Domingos

dade amorim disse...

Abraço para ambos - a que recebe e o que publica!

Abraço!

Assis Freitas disse...

pura alquimia



beijo e abraço

Cris de Souza disse...

A violeta merece essa porção mágica!

Beijos.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Tânia. Vim conferir o teu blog, que conheci na lista de um amigo meu.
Interessante a homenagem recebida, um encanto de poema, onde a magia se faz plena e as palavras libertas.
Para que o temor? Para nada, aqui ficou claro demais.
Parabéns.
Tenha um lindo dia, ficando por aqui.
Beijos na alma.

Ana Cecilia Romeu disse...

Lindo poema do Domingos, Taninha!
Poção de bruxo com tons e aromas.
Tudo magia e vida inteira.
Bela homenagem e merecida!

Beijos aos dois!

Domingos Barroso disse...

beijo carinhoso, minha cúmplice e adorável amiga Tânia...

abraços e beijos
a todos...