24 de setembro de 2013

Metamorfose



Desafio Poético com Imagem - Arte: By Ahermin


À Grande Asa Invisível
clamamos ser gente
por breves instantes.

Amor de membro e vulva
gorjeios articulados
asas de carpo
metacarpo e falange.

Os bicos desabrocharam
em carne vermelha e macia
num encontro de línguas
e o ruflar do sangue no coração.

À Grande Asa Invisível
prometemos voltar antes
que o sol derretesse a pele
e as carcaças revelassem
o segredo sobre a areia.

Contudo é tarde:

condenamo-nos
ao fugaz voo humano
no clímax do prazer.

Essas asas invisíveis
que nos erguem do
chão por ínfimos segundos
nos levam a crer, porém, que
um dia fomos pássaros...

7 comentários:

Domingos Barroso disse...

e qual sonho tão verdadeiro
quanto esses suspiros
...


beijo carinhoso,
querida Tania
...

cirandeira disse...

...e voltaremos sempre que possível a alçar novos voos, porque
o calor é imenso :)

beijos, querida!

Assis Freitas disse...

que gênese esta nossa: a de voo




beijo

Primeira Pessoa disse...

no outro, fomos chão.
do poema e suas vertigens.

beijos,

r.

José Carlos Sant Anna disse...

E nessa metamorfose quem não quer subir para alcançar a seiva? Ou se não fomos pássaros, somos flexíveis palmas...
beijos, minha querida Tania,

jorge pimenta disse...

the rise and fall para a grande odisseia: o amor. invariavelmente em adversativa.

beijinho, poetamiga de sensações tantas!

Luciana Marinho disse...

tânia,


a beleza do poema se fez em diálogo de alturas com a beleza fotografia! belíssimo post, por si só, um vôo.


beijos.