16 de abril de 2013

Grávido






há tantos anos
esse olhar grávido
cavidade profunda
abrigo de riscos.

contraem-se
as pupilas
em rebate falso:
nada nasce
senão a promessa
difusa
de que a caixa
será aberta
por quem souber
acalentar o oceano
nos braços.

é uma gravidez
de risco
a qualquer hora
pode verter o sangue
pode sujar-se
a camisa branca
ou a máscara que usa
em dias de festa.

e, sim, tens razão:
isso não são olhos
são ventres
em movimentos
avessos ao parto.

10 comentários:

Por que você faz poema? disse...

O olhar da Sophia Loren
me fecunda.

Eleonora Marino Duarte disse...

a vontade que eu tive foi dizer um palavrão! na intenção de poder expressar o que senti. Tanita, você está com a corda toda a nos amarrar às tuas palavras e nos viciar em impressões que pulsam... maravilha, dona moça.


um beijo.

Assis Freitas disse...

avessos ao parto: mas que vicejam

belo, belo



beijo

Ira Buscacio disse...

Tive a msma vontade da Nôra, mas não vou deixar passar

Caraleeeoooooooo!

bj, minha Taninha

José Carlos Sant Anna disse...

Maravilha de poema, Tânia. Tocada pela realidade, você põe arte onde pulsa a vida e põe vida onde pulsa a arte. Em Grávido, as palavras encontraram o seu lugar.
beijoss

cirandeira disse...

Como dizia Antonio Machado:
"O olho que te vê não é olho porque
tu o vês. É olho porque te vê."
São como dois espelhos que refletem
a contraface de um e do outro que se esconde dentro de nós!
Quanto mais engravidas mais fertilizas a tua poesia!!!

beijosss

Domingos Barroso disse...

gravidez de sacerdotisa
traz esse olhar no ventre
...

Que poema belo!

beijo carinhoso,
Tânia.

"e, sim, tens razão:
isso não são olhos
são ventres
em movimentos
avessos ao parto."

eurico portugal disse...

segurar oceanos pelos braços em olhares descruzados de partos - o ventre da tua poesia esventra. e sigo seguindo mesmo encharcado de sangue.

oh, que maravilha!!!

beijos!

Cris de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris de Souza disse...

Prematuro não me parece ser...

Outro beijo!