24 de outubro de 2010

Sob os escombros de pálidas máscaras


À carícia da renda preta
Pétalas de uma negra flor
Abrem-se da alva pérola.

O rosto é véu
Que envolve um segredo
Oculto na alma.

A alma é simples:
Ramos secos
e estalidos imaginários.

À carícia da renda preta
Pássaros coloridos
Oferecem pedaços dos seus vôos
e riscam o escuro dos céus em tons suaves.

E sob os fios delicados do negro leque
Guarda-se um passado longínquo
De flores que um dia falaram
De vidas que floresceram
De um tempo que perdura
Sob os escombros de pálidas máscaras.

29 comentários:

Pablo Rocha disse...

Como é bom passar aqui Tania. É certeza de que algo novo nos acrecentará. Sempre gostei muito do que você escreve. Seu talento é puro, como teu poema de hoje.

Parabéns e beijos, poetisa!

Mila disse...

Uma delícia ler seus escritos, encontramos caminhos desconhecidos...
Parabéns!
Bjs
Mila

Ives disse...

Nossa lindo, nostálgico achei, abraços

Bípede Falante disse...

Que inusitada e bonita a imagem de descobrir o rosto para transformá-lo em véu :)
Bjs

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse...

E um leque esvoaça em cânticos de vida preciosa.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 25/10/2010

Assis Freitas disse...

este teu canto é um primor, mergulhas num universo de lirismo que a tudo se descortina, até sobre os véus,


beijo

Marcantonio disse...

Poema para ler e reler. A última estrofe tem uma amplitude que pode transcender as máscaras pessoais e abarcar a própria essência da vida sob as máscaras passageiras da história, das circunstâncias, das ilusões.

Mas eu me impressionei mesmo com a terceira estrofe:


A alma é simples:
Ramos secos
e estalidos imaginários.

Três versos que dizem tanto, e de forma tão bela e sensória!

Abraços, Tânia.

Machado de Carlos disse...

Você sempre escrevendo de uma forma ímpar,invejável. É uma delícia entrar em seus versos!
Que bom que você esteve em meu blog. A sua presença sempre me alegra. Eu também trabalho com o fator tempo. Realmente, o sentimentalismo me leva a escrever de tal forma, que vivifica o público feminino. Não porque eu queira, é porque gosto de valorizar o sentimento da mulher que se torna mais puro do que o do homem. E fica sendo uma alegria absoluta para mim, pois aumenta muito mais a minha responsabilidade.

Claudinha Antunes BA disse...

É indescritível partilhar com você destes momentos de descoberta! Uma verdadeira bênção...
Foi ainda mais especial a confirmação de que o leque lhe "pertencia" e saber de você que a renda nude tinha endereço certo...rs...
Bjs cheios de gratidão pela alma generosa e encantada que você tem!
Claudinha

A.S. disse...

Ah! Que deliciosas teceram tão fina renda, onde se ocultam majestosos pássaros em voos de insanas fantasias!!!


Beijos, querida!
AL

Zélia Guardiano disse...

Lindo, lindo, lindo,Tania Regina!
Uma sequência de maravilhas interligadas, que vou percorrendo, numa ânsia enorme. Quando termino, recomeço.
Parabéns, minha querida!
Beijo

lucidreira disse...

Para mim seus versos se transformam-se em uma linda e poética tela e ou em uma escultura produzida por mim e reproduzida por ti.
Abraço

Jorge Pimenta disse...

entre tons, este teu texto.
toco o olhar melancólico sobre a primavera que ganha os matizes do fim das estações; ainda assim, conseguem arrancar um sorriso na serenidade do rosto. poema-carícia! renda-afago!
um beijinho, poeta amiga!

dade amorim disse...

Que beleza, Tânia!
Amei a terceira estrofe, tão eloquente e tão simples.

Um beijo pra você.

Mar Arável disse...

Pássaros longínquos

e já é tanto

Bj

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"À carícia da renda preta
Pétalas de uma negra flor
Abrem-se da alva pérola"
pensei tantas coisas nestes versos, tantas coisas...

Denise disse...

Alma simples

você sempre me encanta.

afagos

ju rigoni disse...

Definitivamente enredada na profundidade e na beleza dos teus versos.

Bela construção, Tânia!

Bjs, poeta. Inté!

Gerana Damulakis disse...

Fortes, densas: Tania e sua poesia, sua especial poesia.

Djabal disse...

Dentre os mistérios das flores, a fala era uma das últimas imagens que ainda não havia passado por minha mente. Até agora, enquanto lia a sua mensagem as vidas que elas possuiam também floresceram aqui. E os escombros se evaporaram. Parabéns.Obrigado e beijos.

Leca disse...

Véus...
são pequenos mistérios...

Beijos

L
e
c
a

Juan Moravagine Carneiro disse...

belo mosaico...bj

Djabal disse...

Como já disse a Bípede, as imagens são inusitas. O sentimento entretanto é o mesmo, cantado pela poesia. Sem ele nos pareceremos mais e mais como coelhos, carneiros ou outros que gostam se de juntar, apenas para transmitir calor, e se perder em precipícios. Beijos.

Rita Contreiras disse...

E que tudo renasça e floresça além das máscaras!Bj

Primeira Pessoa disse...

e eu perdendo a visão por detrás destas rendas...rs


putz, taninha, parece que fui abduzido. desculpe as ausências.

acho que to voltando.

beijo,

r.

CAROLINA CAETANO disse...

"Pássaros coloridos
Oferecem pedaços dos seus vôos"

É especialmente bonito. É bonito demais!

Machado de Carlos disse...

As flores sempre encantam por serem assinaturas de Deus sobre a Terra!
A Mulher é sinônimo de muita luz. Por isso escrevo sempre poemas que me lembram delas.

Beijos!...

Bípede Falante disse...

Querida Tania, essa semana foi uma semana muito dura. Além de ter o finados, tive mesmo de desmontar a casa dos meus pais. Cheguei essa madrugada. Os dois já estão mortos e meus irmãos e eu estávamos adiando o inadiável. Então, não escrevi no seu aniversário. Me desculpa, porque eu desejo uma vida muito feliz para você com muitas leituras, muita escrita e muita poesia, que você é poesia e poucas pessoas a são. Grande beijo. Bípede

Angelina Sá disse...

lindo de mais,você é pura poesia.um beijo enorme!!!