19 de outubro de 2010

Vermelho


De vermelho
Tinge-se lascivo o meu olhar
Lançando-se inofensivo
Sobre os músculos do teu peito.

De vermelho
Trago tuas mãos
Aos contornos do meu corpo
E liberto o meu grito rouco
Quando tocas o meu sexo.

De vermelho perco o nexo
E aceito o chamado
Do abismo.

22 comentários:

Claudinha Antunes BA disse...

Que lindo, Tânia!
Recebeu meu e-mail "como 'tá tu?"
Nossos livros chegara, levo 6a.
Bjusss de boa noite

viverempalavras disse...

Vermelho é a cor do pecado. Mas que pecado pode haver em versos tão sensuais? Nunca a vi tão ousada assim e devo dizer que encontraste o equilíbrio certo entre poesia e sensualidade.

Parabéns, querida poetisa!

ANTOLOGIA POÉTICA disse...

"Dai-me Senhor:
a perseverança das ondas do mar,
que fazem de cada recuo um ponto
de partida para um novo avanço."

(Cecília Meireles)


Belo amanhecer e beijos meus! M@ria

Ives disse...

Poderoso vermelho, abraços

Djabal disse...

Juntar ao vermelho o pé espetado no último degrau antes de enfrentar o abismo sem fim, é somar vertigem, tecer encantos, para nos despertar para o nada. Que significa tudo. Parabéns. Beijos.

Marcantonio disse...

Dominante vermelho
se alastrando.
Ardor, espelho.


Bom ver a sua poesia em tantos tons.

Abraços, Tânia.

Assis Freitas disse...

rubro sentires, vertigem e abismo, sismos


beijo

Bípede Falante disse...

Tânia, eu que ando tão à flor da pele, estou adorando a sua que também parece tocada pelas mãos das palavras eróticas! :)
Bjs

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Semi-consciência no transe-unte do toque... ;)

Lara Amaral disse...

Poeticamente ardente! Tbm já escrevi sobre o Escarlate, é sempre uma nova descoberta para nós mesmas.

Beijo!

AC disse...

O mergulha na paixão, a libertação dos sentidos...

Beijo :)

Cris de Souza disse...

Permissivo, pulsante, púrpura...

Enlevou meu olhar!

Beijo, Tania.

Gerana Damulakis disse...

Vermelho paixão: belo poema erótico.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Tinge-se lascivo o meu olhar" imagens lascivas, dadas ao que de melhor do corpo podemos ter: o gozo

lucidreira disse...

E quem não enrubesce com a sensual liberdade do ato de "amar".
Abraço

Jorge Pimenta disse...

pulsação, frémito, angina, estrépito, rouqidão, rufo, voragem, vertigem, grito, explosão... em tons de encarnado.
um beijinho, tânia querida!

ju rigoni disse...

Teu vermelho transcende...

"De vermelho perco o nexo
E aceito o chamado
Do abismo."

Bjs, poeta. E inté!

Maria Emilia Xavier disse...

A sutileza que usas magnificamente para descrever o seu momento, pessoal e intransferível, é forte... é vermelho...mas, também, tem a languidez delicada e bela da entrega.

Andrea de Godoy Neto disse...

Poema rubro, intenso, apaixonante!
Irresistível esse chamado do abismo...

Irresistível o chamado da tua poesia
Beijos, querida Tânia!

Mgomes - Santa Cruz disse...

Tânia; adoro vermelho mas só rosas vermelhas são as minhas preferidas.
Adorei lindo o teu poema.
Beijos
Santa Cruz

Machado de Carlos disse...

... E ela estava de vermelho! Uma cor que unida ao corpo feminino nos leva à loucura! Passamos a noite inteira sob o clarão daquele vermelho fulminante!
Valeu à pena! Até hoje aqueles momentos de cinco horas de amor não saem da lembrança!...

Nilson Barcelli disse...

Devias fazer poesia com maior frequência.
Porque a tua poesia é de primeira água. Dá gosto ler.
Os 3 poemas que li revelam uma poetisa onde a excelência é o normal.
Aplica-te na poesia, acho que vale mesmo a pena.
Um beijo.