27 de agosto de 2010

Bala de festim


Morri de um tiro certeiro
Daquele amor derradeiro
Cingido pela Eternidade.

Morri na flor da idade
Andando pela cidade
Mãos dadas com a paixão.

Mas uma bala de festim
Fez da morte fictícia
[Meu amor chegou ao fim
Com a maciez de uma carícia].
(Tania Contreiras)

63 comentários:

Andrea de Godoy Neto disse...

Tânia, essa bala de festim atingiu-me em cheio, sem chance de defesa...que lindo poema, lindíssimo!
daqueles que nos percorre o corpo em arrepio.

beijos, querida!

Juci Barros disse...

Que versos deliciosos!!
Beijos.

Arnoldo Pimentel disse...

Muito lindo e encantador seu poema, tudo de bom pra você.Beijos

Arnoldo Pimentel disse...

Muito lindo e encantador seu poema, tudo de bom pra você.Beijos

Marcantonio disse...

Muito bom, Tânia. Uma analogia inspiradíssima, e um belo final.

Abraços.

Mai disse...

Vida, morte, e nos entremeios do amar - tiros, festim e estilhaços.

Abraços, Tania, bom final de semana.

anita sereno disse...

oi desculpa a minha ausência
lindo poema
de uma textura terna e brilhante
adorei amiga
bom fim de semana
beijos

Cristiano Contreiras disse...

Precisa, então, renascer de amor novamente - com um novo tiro certeiro, uma nova experiência virá.

Beijo

so sad disse...

de amor não se morre, se vive!
beijo!

Mgomes - Santa Cruz disse...

Olá Tánia: Muito lindo adorei mas não quero que moras com a bala de festim, Porque ainda é cedo para morrer, morrer só pelo um lindo amor. é estou a beincar não leves a mal.
Beijinhos
Santa cruz

lucidreira disse...

Fim de um amor, amor nova para substituir: Como diz o ditado rei morto, rei posto.
O mais encantador é a sua morte do amor, [com a maciez de uma carícia]. Lindo!
Abraço

Lara Amaral disse...

Ai, bonito e dorido... tão, tão sensível.

Beijos.

Rodrigo Passos disse...

senti o ritmo de suas palavras em meu coração!!!

Bípede Falante disse...

Tania, escreveu o Quintana que é bom morrer de amor quando se continua vivendo. Depois de ler o seu poema, começo a achar que ele estava redondamente enganado. bj.

tonhOliveira disse...



Que lindo!
Me acertou em cheio esta bala perdida.
...

atiei a esmo
que azar o meu
acertei eu esmo!


Este tá lá no http://po--etica.blogspot.com

...

Não pude responder teu comentário
por e-mail lá do 6vqcoisa.
O e-mail que aparece lá é:
noreply-comment@blogger.com

Obrigado Tania!

Sou
ficha limpa
ficha branca (OMO total → sabão em pó)
ficha transparente
quase "desbotada"
e as vezes sem miolo (ideias).

VaLEU-me!

be:)os!

Zélia Guardiano disse...

Lindo demais, querida amiga Tânia!
Incrpivel a leveza que você dá para um tema sofrido...
Você sabe escrever um poema!!!
Grande abraço e beijinhos...

AC disse...

A envolvência das palavras num profundo sentir, mesclado de emoção e racionalidade...

Beijo :)

Gerana Damulakis disse...

Que maravilha, Tania! Gostei imensamente.

Gerana Damulakis disse...

Sim, Tania, todo mundo diz que sou parecida com Clarice. Pena que não sou parecida no talento; já pensou, que maravilha seria...
Mas, na verdade, são apenas as maçãs do rosto salientes, repare que ela tem olhos grandes e redondos, enquanto os meus são pequenos e puxados.

dade amorim disse...

Uma delícia de poema, o que não é novidade, no caso.

Beijo e obrigada pelo carinho, Tânia.

ParadoXos disse...

um poema vividamente à flor da vida como todos deveriam ser!

um beijo meu, agora nosso!

Juan Moravagine Carneiro disse...

sempre me encanto com seus versos...

andei meio ausente por falta de tempo, me desculpa

esta semana estou nos Homens Hediondos

abraço

CAROLINA CAETANO disse...

"Morri na flor da idade
Andando pela cidade
Mãos dadas com a paixão."

Tania, gostei demais da conta. Lindo!!

nydia bonetti disse...

ai, ai... poema certeiro, Tania. deu até uma dorzinha no peito. :) beijo grande.

livia soares disse...

É uma grata satisfação a descoberta deste blog. Também me ocupo desses temas... nossos encontros e desencontros. E seus vestígios.
Um abraço.

Jorge Pimenta disse...

tânia,
de eternidades e semi-verdades só o amor sabe. mas morrer de um tiro certeiro cingido pela eternidade (especialmente com a maciez da carícia) só os poetas o sabem. eis por que estou longe de me considerar um...
texto arrepiantemente belo!
um beijinho!

M@ria disse...

Não deixe morar dentro de você
O que na vida não valeu a pena.

(Pe. Fábio de Melo)

Te desejo uma semana abençoada.
Beijos e carinhos meus! M@ria

ANTOLOGIA POÉTICA disse...

Assim, as marcas do tempo, em minha memória, presentes,
dispersas seguem seu rumo, e fico com um sorriso leve,
Tempo que se foi, na brisa, nas nuvens, nas ondas...em mim.

Reggina Moon

Feliz Semana! Beijos meus!! M@ria

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Quando a.fim doce é menos ruim...

Bjus mil, Tânia! ;)

Tania regina Contreiras disse...

Beijão, Andrea, que bom que vc gostou!

Tania regina Contreiras disse...

Jucy, só resta então saborear! :-)
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Enoldo, grata pela sua presença,querido!
Abrço grande...

Tania regina Contreiras disse...

Marquinho, grata pela sua visita, sempre bem-vinda...
Abraços,

Tania regina Contreiras disse...

Mai, beijo grande pra vc!

Tania regina Contreiras disse...

Anita,obrigada por vir...
beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Cristiano, é isso: bom nos abrirmos sempre ao novo!
beijos,

Tania regina Contreiras disse...

So sad...grata pela sua visita e um grande abraço,

Tania regina Contreiras disse...

Santa Cruz, essa bala não mata, não se preocupe! :-)
Abraços,

Tania regina Contreiras disse...

Oi, Tonho, vou lá conferir, deixa comigo...:-)
Abraços,

Tania regina Contreiras disse...

Lu Cidreira, acabei de visitar seu espaço e aprender mais umtantinho de coisas...
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Laea, mas bala de festim só espanta, não mata e não dói...:-)
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Oi, Rodrigo,obrigada pela visita...
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Bípede...sei não, o Quintana pode estar certo...:-)
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Zélia, querida, sempre bom vê-la por aqui...
Beijo grande,

Tania regina Contreiras disse...

Ac, obrigada pela presença aqui no Roxo!
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Ah, Gerana, cada um com seu dom, e você tem o seu, que exercita muito bem! A mim parece que há mais que a semlehança entre você e a Clarice do que a maçã do rosto...E cada umacom seu talento!
beijão, Gerana...

Tania regina Contreiras disse...

Dade, bom vê-la de volta, sabia? Espero que esteja se recuperando bem e que volte logo de vez...
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Paradoxos, outros beijos e grata pela presença aqui...

Tania regina Contreiras disse...

Juan Rafael, andas sumido mesmo garoto! Bom te ver aqui...Tenho visitado o Homens Hediondos, mas o tempo anda curto para os comentários.
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Carolina, que bom que agradei, então! :-)
Beijos e obrigada pela visita...

Tania regina Contreiras disse...

Nydia, ao menos acertei em alvos preciosos, visita como a sua é super bem-vinda...
Obrigada por vir...
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Lívia, me achastes e vou achá-la também logo...
Obrigada por vir,
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

Ah, jorge, para com isso que vc não é só um poeta, mas um grande poeta: sou leitora assídua...
Obrigada por vir...
Beijos,

Tania regina Contreiras disse...

maria, obrigada pela presença e pelo registro...
abraços,

Tania regina Contreiras disse...

Maria, valeram a sua presença e o seu registro aqui no Roxo...
Abraços,

Tania regina Contreiras disse...

Francisco, um fim com estrondo, mas sem estragos: bala de festim! abraços

Luah disse...

Ahhhh mulher a cartinha massa hein ... hehehe o engraçado é que o meu pai nem me ensinou a desenhar! :P hehehe lindooo o poema
um xero e volte sempre :)

Tania regina Contreiras disse...

Luah, bela a sua cartinha ao pai, sim. Volte sempre também.
Beijos

Por que você faz poema? disse...

Morremos todos os dias,
com balas reais ou de festins.
Mas renascemos na poesia.

Pablo Rocha disse...

Logo logo vem a ressurreição!! Quero morrer muitas vezes assim em minha vida! rs

Beijoss!

Centelhas do outro disse...

Bonito poema, tem musicalidade e ritmo agradáveis, e nos bota para pensar.
Abraço.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Tania
que a gente possa mesmo viver muitos instantes de balas de festim pela vida.

e que novos amores possam cingir o ar com fogos...de artifício, ou não.

adorei viu

Laysha Vampira disse...

Que encanto de blog!
Adorei seus poemas... singelos e lindos! Parabéns.

Vou seguir com prazer.

Beijos sangrentos da vampira Laysha.