25 de maio de 2010

A rosa e o louco



A rosa vermelha amarrada ao pé do louco é uma imagem que não me sai da cabeça, faz tempo. O homem negro, nu, chegou com a pele brilhante, o riso esboçado, completamente alheio à paisagem em sua volta. Todos os olhares convergiram para a sua nudez, e o louco caminhava firme, indiferente ao alvoroço que provocava nas dezenas de pessoas na praia.


Sem ter superado de todo o meu fascínio pela loucura, observei atenta cada passo marcado do homem, que vinha agora quase em minha direção. Uma marcha para a frente, e lá estava ele diante de mim, mirando o mar. Observei no seu tornozelo esquerdo uma rosa vermelha presa com um cordão encardido, sua única indumentária. O homem louco ornava-se antes do caminhar incerto e engendrava delicadezas antes de sair errante, até dar no mar, com deslumbramento de criança.

Sem tirar os olhos do homem, pensei na beleza que tinge suavemente a loucura. No poder da poesia que enrubrece a insanidade sem cor. Refleti sobre as pontes que se fazem entre as águas bravias do inconsciente e a árida lucidez dos que jamais enlouquecem. Entendi que o homem, louco, se cobria com a veste mais íntima do seu delírio; e com sua demência amparava a fragilidade da flor.

Inclinando parcialmente o corpo e levantando a perna esquerda, o louco desatou o nó da corda encardida e deitou com maciez a rosa sobre a areia. Sorrindo para o nada, caminhou em direção ao mar e atirou-se com felicidade às águas que pareciam esperar-lhe. Antes mesmo do primeiro mergulho, dois salva-vidas saltaram sobre o homem, que continuava a sorrir, trazendo-o de volta à areia, agora seguro pelos dois braços.

Já em terra, o homem apanhou o cordão encardido, ajeitou suavemente a rosa vermelha no tornozelo, e saiu andando com um sorriso matreiro na direção da rua.

64 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

Confesso que li de uma vez seu escrito...mergulhei no mesmo...como se estive-se a ouvir uma canção...

Vou ter que retornar depois para reler com mais calma...

Você dança com as palavras com extrema facilidade

abraço

Ava disse...

Adorei este seu texto. Fez-me pensar em que é realmente o louco, se aquele que se perdeu na interiorização dos seus sonhos, se aqueles que racionalizam as suas acções, o que certamente deve ter havido muitos...

Beijos doces, Ava.

Rodrigo Zoom disse...

Oi Tânia,
Vi que você gosta bastante de arte e quero te mostrar que não sei fazer apenas tirinhas:
http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/4291174097/in/photostream/
visite a minha página e veja as minhas telas !
Um grande abraço

Rodrigo Zoom

Assis Freitas disse...

eu fico pensando na loucura nossa de cada dia, vivemos no limite e qualquer desatenção... belas imagens as tuas. abraço

Mila disse...

Olá Tânia!
Interessante sua postagem, me fez viajar...
Bjs
Mila

Tânia regina Contreiras disse...

Olá, Juan, espero que volte, sim, e obrigada pela presença.

Abraços, Tania

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Ava, há algo luminoso que emana da escuridão da loucura, muitas vezes.

Beijos, Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Rodrigo, gosto, sim, de arte e vou visitar o seu site, pode deixar. Obrigada por vir.
Beijo,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Assis, parece que vivemos nos tantos limites muitas vezes.

Grata pela presença,
Beijos
Tânia

Hana disse...

oiiiiii to aki pra deixar umas beijocas e adorei sua visita, olha só aki é muito confortavel, tomar meu chazinho de hortelã e me deliciar com seus post. vou te lendo!! e deixo um abaço e parabéns pelo espaço pra gente!!
com carinho
Hana

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Hana, obrigada pela presença carinhosa.

Beijo grande pra você!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Uma Rosa que prende e castiga mais que o seu " dono" uma rosa aos olhos da poeta é uma rosa que não é uma rosa...é um desejo
Gosteido teu conto...
Sugestão de Leitura- contos de Murilo Rubião, crio que vc vai gostar muito

Machado de Carlos disse...

A Rosa tem um sabor especial. Um perfume especial. Sem contar com a delicadeza que ela transborda. Fico aqui imaginando; - Quem será o verdadeiro louco?!Você diz muitas coisas belas em teu blog...Coisas que permanecem em nosso coração, em nossa alma. Muito obrigado pelos seus comentários!

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Ediney, obrigada pela sugestão de leitura, vou procurar e vou ler. Na verdade, a história da rosa e do louco foi real, presenciei e nunca esqueci. Enquanto todosriam ou se constragiam com a nudez do homem, eu fiquei assombrada com a delicadeza da rosa no homem e do homem com a rosa.

Abraços,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Olá, Machado...pois então, o homem era, de fato, um doente mental, alheio a tudo, mas não à beleza e fragilidade da rosa, algo que me impressionou.
Obrigada pelo carinho,
abraços,
Tãnia

Santa Cruz disse...

Oi Menina; Lindo este teu escrito, um Louco, se é louco mesmo fica alheio a tudo para ele tudo o que disserem nada importa, mas pobrezinha da Rosa porqu sofre nas maos do louco. Ca nos costumamos dizer que de louco todos temos um pouco.
Um beijo
Santa Cruz

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Santa Cruz, obrigada pela visita. Não creio que a rosa tenha sofrido, vi delicadeza no homem, alheio a todos, mas não à rosa.

Abraços,
Tânia

Mai disse...

Apreender da loucura a flor e libertar dela a poesia. Belo texto. Eu também me fixaria na beleza de um homem com uma rosa atada ao pé.
Abraços

Gerana Damulakis disse...

Personagem estupendo! E riquíssimo em símbolos. Muito bom.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Mas na verdade, vim te dizer que vc é de verdade. Que sinto vc em cada letra. E que imagino teu pássaro escorpiônico e evoluído. É um prazer poder privar com vc.

Tânia regina Contreiras disse...

Mai, eu me fixei...E obrigada pelas presença.

Beijo grande

Gerana, querida, obrigada pelo seu comentário, sempre bem-vindo. A história foi real e presenciei.

Beijos


ò, Wal, obrigada, você também é tão de verdade que não há como fugir de sê-lo na convivência com você!

Beijos, querida

Marcantonio disse...

Fascinante, Tânia! Você atingiu um momento muito bom aqui. O louco nu, "vestindo" um símbolo da beleza, da candura, da paixão, do essencial da natureza. A nudez do louco não é ofensiva porque ele se desnuda pra si mesmo, não para o outro. Nele a nudez do corpo é só a face visível de outros desnudamentos internos e extremos. Contraste com a nudez presunçosa, vaidosa e iludida do Rei Nu de Andersen. O louco está verdadeiramente nu, como nua está a sua rosa.

Um abraço.

pablorochapoesias.com disse...

Q coisa linda... Ele estava vestido como que para noite de gala. Vestido da rosa poesia deste seu texto lindo, Tania!

Aplausos!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Tânia cada novo texto que você insere me fascina...acaba por
ser dificil encontrar palavras.
É sempre tão bom vir aqui.
Beijinho/Irene

Cristiano Contreiras disse...

Louco tão tangível que é fácil admirarmos, tamanha expressividade simbólica, de fato...

beijo

Tânia regina Contreiras disse...

Marquinho, que bom ouvir seus comentários sempre. É verdade, este é oposto ao outro, o Rei de Andersen. Mais que isso, foi uma cena real, que acompanhei arrebatada. A rosa certamente estava na areia (roas de oferendas jogadas ao mar, que as águas trazem de volta).

Beijo grande,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Pablo...A rosa era a roupa, sem dúvida. O homem retirou cuidadosamente antes do mergulho programado e despois a vestiu com a mesma delicadeza.
Beijo e bom ver você por aqui,poetinha!

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Cris: uma delicadeza no meio da loucura, como não admirar, né?

beijos,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Olá, Irene, obrigada pela presença carinhosa, sempre.

Grande beijo,
Tânia

Maria Emilia Xavier disse...

Enternecedor seu texto. Meu trabalho, que às vezes me faz deparar com pessoas que perderam total ou parcialmente a chamada "sanidade mental", me oportuniza presenciar e ouvir uma riqueza de fatos semelhantes a este que você relata. Seu texto me faz pensar que a beleza, não escolhe...Ela simplesmente existe nos olhos de quem consegue percebê-la.

Anônimo disse...

Amiga Tãnia,

Como diria o nosso querido maluco beleza: "A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal"...

Ainda bem que estamos de "alta" para contemplarmos situações maravilhosa como essa, onde, a loucura e a delicadeza caminham lado à lado e confirmando que, sim, a Vida é mesmo um poema...

Bjo.

Sam

Lianara **Lia** disse...

Oi Tania!

Lindo texto!

Faça o que fizer, tenha sempre uma rosa nos pés... ou no coração!

Beijos
Lia

Blog Reticências...

lucidreira disse...

Como este texto prende o leitor, por menos que não quira tem que chegar ao fim, senão não incorpora a loucura e o sofrimento da Rosa.
Parabéns.
Abraço

Bípede Falante disse...

Tânia, você não tem nada para aprender e, sim, para ensinar. Você é uma contista de primeiríssima qualidade.

Beijo.
Bípede
P.S. O GED, lá do Mínimo, criou um blog para contos. Contos Marginais. Deve funcionar nos mesmos moldes. Se você quiser ser autora, me avisa. Seria o máximo ter você conosco.

ju rigoni disse...

"Entendi que o homem, louco, se cobria com a veste mais íntima do seu delírio; e com sua demência amparava a fragilidade da flor."

Ele não estava nú; vestia poesia.

Profundo e lindo, Tania! Sempre um prazer te ler.

Bjs e inté!

JAMES disse...

Só voces... linda mulheres, com sensibilidade de sobra, pra escrever textos lindos!!! Parabéns e obrigado pelo elogio as minhas tirinhas. Volte sempre!

Bjs do amigo Zé

Tânia regina Contreiras disse...

Querido Sam, sim, estamos de alta..rsr...nossa loucura com um espaço mais amplo de expressão. E normal, quem quererá ser?? rs

Beijos, querido e obrigada pela presença

Tânia regina Contreiras disse...

Maria Emília, a belleza não escolhe, mas é sempre escolhida, mesmo quando aparentemente estamos longe do mundo.

Obrigada pela presença,
Beijos,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Lia...gostei da frase: façamos o que fizermos, que a rosa esteja nos pés ou no coração. Grata pela sua presença. Beijos, Tãnia

Tânia regina Contreiras disse...

Lu Cidreira, agradeço a visita e a gentileza. Já estive no seu blog e deixei, também lá, meus agradecimentos. Abraço,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Olá, Bípede, ah, obrigada pelo elogio, sinto-me timidamente lisonjeada. Vou ver se contribuo no Contos Marginais. O tempo está curto, mas vamos tentar.

Beijos, querida,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Ju, fico contente por ter gostado. A recíproca é hipe-superverdadeira, porque adora ler você, de verdade, acho que você sente isso.

Beijo grande,
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Zé, suas tirinhas são o máximo, você esbanja talento. Claro que sim, voltarei.

Abração,
Tânia

Machado de Carlos disse...

Belíssima Rosa! Belíssimo texto! Que bom vir aqui e contemplar as luzes da tua página riquíssima em imagens e belas palavras.

Beijos.

Um grande abraço!

Bruna Mitrano disse...

Muito bonito isso. Aliás, muito bonito tudo por aqui.

ONG ALERTA disse...

Loucos todos somos...paz.
Beijo Lisette

Tânia regina Contreiras disse...

Grande abraço, Machado, opbrigada pela tua presença de luz!
Tânia

Tânia regina Contreiras disse...

Beuna, obrigada pelsa presença, querida. Já fui te visitar. Beijo grande
Tania

Tânia regina Contreiras disse...

Lisere, grata pela sua presença. Beijos pra ti

Mar Arável disse...

Fez recordar-me um episódio

Um louco jundo do gradeamento do recreio que dava para a rua perguntou a um passante-
Quantos são vocês aí dentro?

Belo texto o seu

Multiolhares disse...

ontem já tinha comentado, mas...parece que desapareceu o coment.

Sabes por vezes acho que só os loucos são realmente felizes pois fazem o que querem sem se importarem com a opinião dos outros
beijinhos

guard runner disse...

ciao dall'italia

Adriana Karnal disse...

lindo, louco, espelhp da demência?
salva-vidas.

Cadinho RoCo disse...

A liberdade proposta pela loucura floresce em nudez fascinante.
Cadinho RoCo

Tânia regina Contreiras disse...

Pessoal, obrigada pela visita. O tempo está curto, mas deixo rapidamente o registro do meu agradecimento pela presença de vocês. Mar áravel,Multiolhares, guard runner,Adrina e Cadinho, abração.
Tânia

ventosnaprimavera disse...

Muito bom seu texto, as imagens parecem criar vida enquanto lemos.Parabéns.Arnoldo Pimentel

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Tãnia, que delícia de frase, a de não ter superado seu fascínio pela loucura.

Nem eu viu...
Por isso fiquei aqui, esperando o louco florido ser retirado da água e seguir seu curso...dentro de mim.

Tânia regina Contreiras disse...

Ventosna primavera:

Obrigada pela presença e pela gentileza.

abraços,
tania

Wal, é sim, a loucura ainda tem seu fascínio. Abração pra você. Passo no seu espaço assim que o tempo desencolher de novo! rs
Beijo,
Tânia

Machado de Carlos disse...

Entretanto as Estrelas sempre espargindo luzes, muito embora, chegam-nos através de Anos-luz!
Obrigado pela sua presença!
Beijos.

Sylvia Araujo disse...

Atado ao amor pelo tornozelo, o louco ama.
E me fascina.

Lindo texto, Tânia!

Beijoca

Rita Contreiras disse...

A fascinante loucura que por vezes nos faz tocar o paraíso e em outras o inferno...porém não perde o fascínio por trazer algo de inocente, de livre, de belo...

Marcia Gomes disse...

Mas o que é mesmo loucura? Quem é, na verdade louco? O que é de fato uma insanidade? Insanidade é esquecer de ser feliz e dar importância ao que não tem valor. Lindo post. Bjs

Lenita disse...

Sem palavras!

Obrigada pela visita.

Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Machado, Silvia, Marcia e Lenita: obrigada por vocês aqui! Sim, o que é a loucura mesmo? É relativo, né gente?

Beijos a todos!