4 de fevereiro de 2014

Tambores de Contreiras


Imagem web

Presente lindo da maravilhosa poeta Ira Buscacio: amei!

Para Tânia Contreiras, que possui a ciência dos tambores

(Ira Buscacio)

Ouço os tambores dos meninos da terra, 
Esses fazedores de árvores e aves,
E a terra fala de deuses que tocam tambores
Ouço com olhos!
Esses batuques de caboclinhos que gorjeiam
Sotaques simples, tudo conversa de exuberâncias
Como o cair da tarde poemando horizonte
Com frinchas lilases.
Das palmas das mãos, cada som
É um voo de pássaro que fascina,
Os cheiros das infâncias se desgarram
E, sem qualquer afetação,
Tocam folhas, pedras, destinos,
Rios, quintais, pessoas,
Tudo que nasce outro tambor de menino
Ciência de batucadeiros,
Uma gente esquisita e voadora

9 comentários:

Cris de Souza disse...

Ma-ra-vi-lho-sa!

E você bem merece todas as honrarias deste mundo...

Beijos, queridíssimas.

dade amorim disse...

Ira Buscacio é uma poeta e tanto!
Também gostei demais.

Beijo, Tânia.

Assis Freitas disse...

tambores que ressoam alma adentro

belo


beijos queridas

Adri Aleixo disse...

Ah, meninas lindas, fiquei emocionada.

Beijos muitos, muitos!

Ira Buscacio disse...

Assis é mestre até em comentar. Ô poetaço!

É isso! Esses tambores Contreiras ressoam alma dentro

bjão de quem te gosta

José Carlos Sant Anna disse...

Este poema é a raiz dos tambores, a língua do absoluto, anulando os ponteiros do relógio no quadrante do tempo. É uma morada para os teus pássaros. Acho que este pomar de tambores... Você o merece!
Beijos para as duas,

cirandeira disse...

É um privilégio ouvir e sentir o ecoar de tambores entre duas poetas tão especiais!
Parabéns pelo belo poema, Ira.
Parabéns, Tania, por merecê-lo!!

beijos para as duas.

Ana Cecilia Romeu disse...

Vocês duas, Taninha e Ira, são muito lindas, duas doces almas que guardo aqui bem dentro do peito.

Taninha, a Ira é uma 'leitora de almas' incrível!
Ainda estou em pequena pausa no blog, mas não deixaria de vir por aqui por nada.
Muito belo, mesmo!

Um beijo de luz e admiração por vocês, minhas flores!

jorge pimenta disse...

há universos assim: lugares sem nome onde tudo é (im)possível!

beijos, taninha e ira, vocês que têm dedos longos a tocar as fórmulas secretas da arte mágica da poesia... e da vida!