8 de outubro de 2013

Falsa janela em cavidade óssea



Desafio Poético com Imagens - Arte: gabor dvornik


Na paisagem
Anatômica
Exila-se o menino:
.
Endocárdio
Miocárdio
Epicárdio.

Seios transversos
Versos sem rima
Monótonas batidas
No templo sagrado.

No estreito espaço
Do órgão musculoso
A criança corre
Em passos de fuga.

Empertigada janela
Forjada pela razão
Falseia-lhe a saída
Sem que haja socorro.

4 comentários:

Ives disse...

Olá! à paisagem corre o menino, sem que haja socorro! Amei a divina poesia, parabéns! abraços

Assis Freitas disse...

me parece um dentro cada vez mais dentro




beijo

jorge pimenta disse...

são tantos esses nossos lugares que pulsam no encontro com o músculo-verdade. tão bonito, taninha!

beijos muitos!

cirandeira disse...

Uma janela com grades de onde vislumbramos um jardim e um sol, quadrados :)

Beijoss, Tânia