8 de abril de 2013

Estilhaços





Arte: Salvador Dalí




estilhaçaram
o Mistério.

as papilas
gustativas
das mãos
perderam
o poder
de saborear o fruto.

estilhaçaram
O Mistério.


a boca
já não dilata
as pupilas
na escuridão
o grito já não
enxerga.

estilhaçaram
o Mistério.


os olhos
já não ouvem
canções a distância
desconhecem
a melodia do vento.

estilhaçaram
o Mistério.

é pelo olfato
que busco
retornar pra casa
é com ele
que corro
e encontro
a fogueira
a arder solitária
nessa terra impossível.



6 comentários:

Lu Cidreira disse...

E os fragmentos dos estilhaços caíram sobro nós como se fossem raio de sabedoria.
Ah como seria bom aprender a comentar como um conhecedor sobre os lindos poemas que leio.
Só sei que leio e reflito bastante os jogos das palavras.
Abraço

Pablo Rocha disse...

Poesia demais... Sempre que passo aqui me surpreendo com seu amadurecimento!!

Aplausos!

Assis Freitas disse...

estilhaços sob o peito
para o que prega a dor
que imanta todo leito



beijo

José Carlos Sant Anna disse...

É o tempo do olfato para surpreender os estilhaços...
beijoss,

eurico portugal disse...

estilhaços e terras impossíveis? quem chama por nós?...

abraço, taninha!

Wilson Caritta disse...

Quando a leitura faz juntar os fragmentos... retorna em suas mãos a textura do verso! Letras gustativas!

beijo!!!