24 de março de 2013

Síndrome de Estocolmo





entre a farpa
e a carne aberta
um caso de amor
uma lágrima
micro-universo
prestes a parir
encontros imprevisíveis.

7 comentários:

Leonardo B. disse...


[no sopro dessa água salgada de rosto

cicatrizam as feridas
que os dias têem por bem
parir
como se fossem rios incompletos.]

um imenso, imenso abraço, Tania

Lb

Assis Freitas disse...

um caso de amor entre o algoz e a sua flor



beijo

marlene edir severino disse...

Imprevisível
é a vida!

Belíssima esta imagem.
E teu poema captou bem:
Fortaleza e sensibilidade.

Beijo, Tania!

cirandeira disse...

Às vezes necessitamos de um
fórcepes para trazer-nos à luz; de
muito fôlego e muita força para quebrarmos certos elos que nos aprisionam!

um beijo, querida!

Sônia Brandão disse...

A dor pode matar o amor, mas pode também alimentá-lo.
Lindo, Tânia

bjs

Ira Buscacio disse...

amores brotam em qualquer chão!

Vc, Taninha, é daquela gente que tem que existir em cada esquina do mundo... iluminando... iluminando
bj, minha queridona e obrigada pelas provocações dos delírios
mais bj

Domingos Barroso disse...

e desses partos
o invisível
é o pai
...


beijo carinhoso,
querida Tania.