19 de março de 2013

Em letras de fogo: adeus!










que esse incêndio
fracionado
me consuma
enquanto salto
e eu seja astro ardente
em seu infinito.

13 comentários:

Cris de Souza disse...

Vai com tudo!!!

Beijo, Violeta.

José Carlos Sant Anna disse...

Magnífica a leitura, Tãnia. É a palavra instaurando um mundo novo a partir da imagem. Um salto perfeito na sua criação.
beijoss,

Ira Buscacio disse...

essa imagem é um abuso, uma hora me atrevo.

o poema é abismo para grandes vôos.
bj grande, Taninha, minha queridona

Primeira Pessoa disse...

ó, Deus!

Luciana Marinho disse...

uma das postagens mais intensamente belas que encontrei aqui. palavras sem margens, em um salto poético ao da fotografia.

beijos!

Luciana Marinho disse...

ah... quem é o autor da fotografia?

Marcantonio disse...

Perfeito. E agora é possível dispensar a imagem e ficar apenas com o poema.

Assis Freitas disse...

salto/alto/ardente



beijo

marlene edir severino disse...

Carta de suicida
depois
encontrada

Beijo, Tania!

cirandeira disse...

Que salto, Tânia!, que salto!!!

beijoss

Eleonora Marino Duarte disse...

o ato de saltar é por si só a metáfora ideal de uma estrela cadente!


é preciso coragem, mas é preciso o salto!

adorei, imensamente!!!


Um beijo.

dade amorim disse...

Coragem e salto, como diz Eleonora.
Beijo grande, Tania!

eurico portugal disse...

tantos aconteceres neste salto de infinito.

beijo, rendido a esta imagem que se desenha cada vez mais nítida naqueles lugares onde não cabem lápis, traço ou definição.