11 de dezembro de 2012

À penumbra




“O livro selado do universo não pode ser lido em voz alta. A natureza foge da violação da evidência: confiou seus mistérios aos murmúrios e à penumbra. As suas paisagens só revelam sua autêntica profundidade de madrugada ou ao crepúsculo através dos vapores e das brumas. (...) Assim, a palavra sempre velada do símbolo pode precaver-se contra o erro mais grave de todos: o da descoberta de um sentido definitivo e último das coisas e dos seres. Efetivamente, ninguém se engana tanto como aquele que conhece todas as respostas, com exceção, talvez, daquele que apenas conhece uma.”

Gilbert Durand (1921- 2012)



http://www.imaginalis.pro.br/noticias_detalhe.php?idEvento=3

" Gilbert Durand morreu na última quinta-feira, dia 6 de dezembro, cercado por seus próximos. Foi sob seu sopro inspirador que nasceu o Imaginalis, grupo de estudos sobre Comunicação e Imaginário. Como nós estamos órfãos, muitos outros pesquisadores filhos de Durand também estão."

17 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

E foi-se essa grande figura!

Luiza Maciel Nogueira disse...

adorei o visual novo Tania!
grande beijo

F. Carolina disse...

Que lindeza!

"A natureza foge da violação da evidência"...

Obrigada por isso!
Um beijo!

Luciana Marinho disse...

belíssima sensibilidade. beijos!

Assis Freitas disse...

este 2012 com suas perdas, tantas




beijo

Ira Buscacio disse...

Uma beleza de pensamento! Gentileza sua para com os leitores. Obrigada!
bj grande, Taninha

Primeira Pessoa disse...

no que essas pessoas iluminadas se vão o mundo vai ficando na penumbra.
essa é uma das verdades.

beijão, taninha.

José Carlos Sant Anna disse...

A penumbra é maior como disse o Roberto, é quase certo, porém, de que ele não morreu de tédio, além de nos ter assombrado com a sua lucidez.
beijoss,

cirandeira disse...

Muito bom, Tânia, é uma pena que
muitos que vivem na penumbra sejam revelados somente quando saem do
nosso convívio!

beijoss

Wilson Caritta disse...

Quero compartilhar, um presentaço essa postagem Tânia!
beijos!!


dade amorim disse...

Um texto de respeito, que começa por uma grande verdade e prossegue revelando o mundo como ele é.
Uma grande perda, Tania.
Beijos.

Verso Aberto disse...

e
a medida que aumentamos as perdas
percebemos que vivemos numa época careta e pobre

que
silenciosamente
definha

Fred Caju disse...

Quando certa vez me chegou à mão, negligenciei a leitura. Acontece...

eurico portugal disse...

o livro selado do universo e seus infinitos murmúrios...

a matéria eterniza-se quando se sabe dar a beber o sol inteiro.

beijinho, taninha!

Francisco Coimbra disse...

RESPOSTA

entre uma
e todas as outras
haja respostas

dadas a todos
os gostos

e feitios: a gosto
Assim

EXPOSTA

exposta
pelas costas
esperando

venhas
tu sempre

como sur_presa
Mim

Francisco Coimbra disse...

Não acrescentei palavras minhas à inspiração do dueto Assim & Mim, achei vir a inspiração da foto da última publicação (a seguinte a este texto) e da frase final de "À penumbra". Parabéns, um abraço.

Eleonora Marino Duarte disse...

que lindeza....