30 de outubro de 2012

Halloween










 Se eu tivesse nascido,
 hoje faria anos.

 Chegaria num halloween
  – máscara sobre máscaras
 streptease de rostos
 busca da nudez primeva.

 Festejaria com o poeta de Itabira.
 Conheceria o mundo
 Vasto e vasto mundo
 De rimas abundantes
 Mas sem solução.

 Acontece que não nasci.
 Ainda estou por existir
 Em algum lugar
 Onde os loucos profetizem
 E os poetas embriaguem meus olhos.

 Quando eu nascer algum dia
  Vistam-me um camisolão azul
  Que oculte as asas
  Que haverei de ter.

  Voar será um segredo
  Revelado somente ao abismo.



 Nota: o poeta Carlos Drummond de Andrade nasceu em 31 de outubro de 1902 e faleceu em 17 de agosto de 1987


22 comentários:

dade amorim disse...

Um poema incrível, Tania!
Bjsss.

Lu Cidreira disse...

E como ele sabia relatar em versos e prosa as seus sonhos e aventuras.
Ps. estava por um bom período sem rede e sem visita-la, mais, as coisas mudaram e as trens estão nos trilhos.
Abraço

Bípede Falante disse...

Voar será um segredo...
Sim, será.
Belíssimo poema sobre o papel do tempo e de cada um na vida.
Parabéns!!!!
Beijoss

Domingos Barroso disse...

o despertar de sacerdotisas é toda hora a cada piscadela de cílio -
os teus cílios brilham
com a lua e queimam
com o sol
...

Tânia,
sinto-me profundamente feliz
pela constante comunhão
entre nossas almas
...

Beijo carinhoso.

Feliz Renascimento.

Carlos Souza disse...

Tânia, os olhos ficam "embriagados" com tua poesia.

Que poema lindo!

Anônimo disse...

Quando você nascer, Poetiza:
Me explique,
Me ensine,
Me insinue:
Essa Arte do que é Vir à existência...
Mas lhe prometo, Poetiza:
Quando eu aprender,
Gostaria de vir acompanhado
De Loucos
E Poetas;
Mas também com as Asas da
Imaginação.

Bjo.

Sam

Bípede Falante disse...

Tania, comentei pelo Iphone, então, não sei se foi ou não a mensagem.
Se não foi me repito.
Dizia eu que voar deve ser um segredo no abismo.
Pássaro fora de mira voa com mais alcance e mais segurança.
Parabéns pelo poema!
Parabéns pelos parabéns :)
Beijoss

LauraAlberto disse...

qual é a data do nascimento?
quantas vezes se nasce?

Beijinho

Tatiana disse...

que bonita homenagem. E esse Camisolão azul é fina moda!.

cirandeira disse...

Belo, Belissimo, Tânia!
Duplamente parabenizada!!!
Estou "catando" as letras pq meu teclado está com problemas. Se já
tinha dificuldades para expressar-me, agora então...!?
Voltarei depois que trocá-lo

¨Beijo em gRaNdE !!!

Andrea de Godoy Neto disse...

poema maravilhoso!

fecho os olhos e me entrego ao arrepio que ele me traz, reconhecimento...

obrigada, Tânia
beijosss

Assis Freitas disse...

que poema mais belo de belo, encantatório



beijo

Fred Caju disse...

Só o dístico inicial foi fodástico.

Ira Buscacio disse...

Já havia lido o poema pelo Fb e é genial. Revelação ao lugar mais certo!
Quero te fazer um convite.
Parei com o faces do poeta, acho que ele se cansou de mim, agora resolvi encher o saco de outro www.umbecochamadocaminho.blogspot.com
Espero vc lá, pra conhecer essa nova minha voz.
bjão
e novamente, o poema é fodástico, como diz Caju

Luiza Maciel Nogueira disse...

feiticeira linda, teu poema me tocou

beijos

F. Carolina disse...

Quase posso ver o sorriso de canto de lábio de Drummond...

Belos versos! Na próxima (se houver) só nascerei com a condição de um manual de vôo.

Beijo!

Primeira Pessoa disse...

taninha, como diria sua conterrânea diana pequeno (cantando), "o melhor foi feito no futuro".

notou que doi até pra nascer?

beijão do

r.

Cris de Souza disse...

Que poema promissor! Me deu até vontade de te beliscar, mas acabei te beijando...

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Meu Deus..... como revela tudo que sentimos....
em tempo, sou de libra viu

eurico portugal disse...

o voo a abrir abismos na coagulação do sangue e da rota. porque o halloween não poucas vezes despe o calendário e nos segue ao longo dos dias.

beijos, taninha!

AC disse...

Um poema só possível a quem sabe muito bem o caminho que trilha, com dúvidas e deslumbramentos a tiracolo...

Beijo :)

Joelma B. disse...

às vezes penso assim: se um dia eu acordar, que não me tirem o camisolão de anjo!

adorando te ler!