4 de janeiro de 2011

Mistério



Há vertigem em teu olhar
Cores, sons, dialetos
Mas é entre os dedos dos teus pés
Que jaz o mistério...

29 comentários:

AC disse...

Diz-me o que caminhas, dir-te-ei quem és.
Belo e profundo!

Beijo :)

Cris de Souza disse...

pra se reler em braille...

ai, que loucura!

beijo, querida.

Cris de Souza disse...

a-do-ro!!!

Juci Barros disse...

Que inusitado!
Beijos.

Luciana Marinho disse...

o mistério no simples, no que não se espera. sempre concebemos mistério para o olhar, mas aqui ele foi dado aos pés.. aos pés que nos plantam no mundo.

Juan Moravagine Carneiro disse...

belo e sensual isso...

saudades de vc no Rembrandt

abraços!

Jorge Pimenta disse...

taninha,
que arrepio! haverá alguma linha invisível que una o que os olhos não alcançam ao que os pés desdenham?...
desenha-se aqui um sétimo sentido: a pele (e o seu esplendor interdigital) :)
um beijinho!

Zélia Guardiano disse...

Os pés são raízes...
Lindo, lindo, querida Tânia!
Parabéns!
Abraço apertado da
Zélia

Rita Contreiras disse...

Mistério sob mistério...Bj

Wilson Torres Nanini disse...

Porque os pés narcotizam por dentro a essência do caminho.

Abraços!

Por que você faz poema? disse...

Pedolatria ainda é para mim um grande mistério.

MAILSON FURTADO disse...

Belo post, belo espaço...

Visite, acompanhe e conheça meu espaço...

IMPROVISOS de MAILSON FURTADO
http://mailsonfurtado.blogspot.com

Grato!

Assis Freitas disse...

ainda há o que una unhas,


beijo

Pablo Rocha disse...

E o que seria de nós sem o mistério e seus lugares pouco explorados? Muito bom, Tânia!

Beijos!

Machado de Carlos disse...

Nada como valorizar a base do corpo. Adoro muito os pés. São poéticos. Delirantes!

Bípede Falante disse...

Inquietante.
Melhor confiar em quem anda descalço :)
Lindo poema, Tânia!
beijos

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Dedos são brinquedos, quedos ou movendo, lendo-te os segredos, degredos que nascendo, se vão pra longe o medo, que tredo não se fica, carícias que suplica... :D

Jandy disse...

q texto lindo, forte!
ADOREI
tou seguindo seu
blog.. bacana!
Beijos
pode seguir?
jandyscorpion.blogspot.com

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

os pés que conduzem, que nos trazem e nos levam, os olhos só claream o caminho, o coração e os pés tramam suas rotas

Bruna Borges disse...

Doce, suave, belo...
Quantos adjetivos eu poderia colecionar aki!
Mas enfim, roxo, violeta são mesmo cores de causar arrepios em sentidos bem distintos, diria até opostos. Por conta disso, te sigo p continuar me arrepiando, ora de pavor ora por amor.
Me visita tb ;)

Mar Arável disse...

Mistérios
de barcos ancorados
ou uma certa forma
de olhar o chão

Crys disse...

AMO PODÓLATRAS PQ AMO MEUS PÉS. NELES ESTÁ O MEU PONTO "G".

Djabal disse...

Os mistérios se encontram nos lugares mais inesperados.
A flor conta a história do universo.
O vazio de entre os dedos do pé contém a teologia do amor. Beijos.

Mgomes - Santa Cruz disse...

Tania; Mistério é e será sempre mistério, nunca saberemos aquilo que a dista palavra mistério um dia nos quererar dizer, será sempre um mistério.
Beijos
Santa Cruz

ju rigoni disse...

Querida Tania, cá estou aos pés do seu "Mistério". Eu também já estava com saudades de te ler.

Que haja muita saúde, muita alegria, muita poesia para você neste 2011. E obrigada por, passado tanto tempo, continuar dedicando leitura aos meus escritos.

Bjo e abraço apertado, poeta. Inté!
Ps - Vou me atrever e deixar aqui um fragmento:
Bem-vindos os véus, todos eles... Bem-vindo o mistério, - mágica poção -, fel e mel da imaginação...

Machado de Carlos disse...

... Eis o momento de beijar os pés da mulher amada. Obrigado pelo seu comentário em meu soneto!...
Beijos!...

Pólen Radioativo disse...

Nossa, Taninha...
Quantas lembranças despertas com teus versos.
É lá que mora o calor que encontramos ainda que cegos.

Um beijão, linda!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

ah, que graça, esse amor que tudo vê....

Andrea de Godoy Neto disse...

Tânia, esse poema é perfeito!
E eu adoro pés descalços...

beijoo