5 de junho de 2010

Rosáceas




Mais um poema de Marcantonio, do blog Diário Extrovertido (http://diarioextrovertido.blogspot.com/) que vem trazer luz à Casa da Imaginação. Para os que ainda não conhecem seu trabalho, vale a pena conferir, Marquinho é um talento.




Se a escrita não for essa pomba que parte,


garrafa alada de um náufrago


que se afoga na própria saliva,


para que escrever?




Feito um monge,


grafitando as paredes da cela,


para deixar pistas


de homicídios não cometidos?




Ou pior, pior, seria escrever


esse entulhar o chão ao meu redor


com bilhetes amarfanhados


de um suicida latente


como se fossem esses cravos de papel branco


os únicos resíduos de mim?




Não!




Escrever abrindo rosáceas altas


nas paredes com a espessura do medo


de viver,


para que uma luz insuspeita


vaze por elas


criando fímbrias de cores pagãs


na luz branca de todo dia.

(Marcantonio)

9 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"nas paredes com a espessura do medo"
e o medo sempre ele vai nos gazendo perder certaz certezas, o medo sempre ele a nos gravar tantas marcas...
ps- a foto do perfil em seu blog é sua?

Mila disse...

Nossa, adorei essa poesia, verdadeira obra de um poeta.
Bjus
Mila

Tania regina Contreiras disse...

Edney, sim o medo nos tira muita coisa, certezas também. Obrigada pela visita. A foto é minha, sim.

Abraços,
Tânia

Mila, há outros poemas tão maravilhosos quanto este. Aliás, há sempre uma boa supresa no Diário Extrovertido, veja lá.
Beijos,
Tânia

Santa Cruz disse...

Tania: Poemas são todos maravilhosos uns mais vivos e outros um poucas mais triste, mas a poesia é sempre bela.
Um beijo
Santa Cruz

Gerana Damulakis disse...

Concordo, Tânia: Marcantonio é um talento; aliás, dois talentos (lembremos da arte plástica).

Marcantonio disse...

Tânia, verdade, verdade mesmo, é que na sua Casa da Imaginação há inúmeras rosáceas altas.

Abraço.

Tania regina Contreiras disse...

Santa Cruz, obrigada pela visita. abraços, Tânia

Gerana, bem lembrado, talento duplo o Marcantonio. Beijo, Tania

Marquinho, obrigada pelo poema emprestado... E claro que pedirei outras vezes. Abraços, Tânia

Gisela Rosa disse...

Adorei este também....a espessura da vida carregada de emoção e escrita...

beijo

Tania regina Contreiras disse...

Gisela, obrigada pela presença luminosa. Grande abraço,
Tânia