6 de abril de 2010

Agora



A hora em que a gente ama
é única e mágica:
Diferente da hora em que a gente
sabe que ama
Da hora em que apenas
a mente compreende o amor.
A hora em que a gente ama
apanha um atalho
entre o saber e o pressentir
Atirando-se sobre nós
como uma onda
larga e fortuita.
A hora em que a gente ama
irrompe entre segundos de um relógio
numa quarta, quinta, ou sexta-feira
às dez, onze ou meia-noite
e como chuva de açoite
inunda a casa da alma.
A hora em que a gente ama é logo, agora e já,
e deve ser dita exatamente na hora em que a gente ama.

6 comentários:

VINO MORAIS - ARTISTA PLASTICO disse...

Ola Tania tambem foi um prazer passar por aqui.Claro,pode utilizar as imagens a vontade.Diga alguma coisa depois para onivsiarom@gmail.com

Tânia regina Contreiras disse...

Oi, Vino, te mando e-mail, sim. É lindo o seu trabalho, obrigada por permitir a utilização dele no meu blog.

Catarina disse...

Menina querida... saudade sim! Uso e abuso desta sua criatividade insana. Blogo lá no meu tb. (Não vou mentir?!?!...rs) bjao

Cristiano Contreiras disse...

A hora que a gente ama é o instante-já;

Pura sensação de exatidão - único momento em que nos revelamos?

* Adorei a imagem que ilustra!

Beijo

Rafael disse...

Tânia, acho que se não fosse o silencio não haveria o por que da arte, da filosofia: é um silencio de significado, só intensidade muda, a natureza agredindo a nossa conciencia e agente tentando dar um nome pr tudo, é a reação a inércia, penso que é justamente esse "Traduzir uma parte na outra parte". O Saramago é que diz que Deus é o silencio e o homem é o barulho que tenta dar sentido a ele, acho que é mais ou menos desse silêncio que eu to tentado falar também.
Infelizmente(mais infelizmente mesmo) eu to sem tempo de ler seu blog agora(essa burocratização da vida e essa rotina que nos engole!), mais me parece muito belo também, irei segui-la.

Brigado pela visita.

Abraços.

Tânia regina Contreiras disse...

Meninos que me visitaram aqui newsse post: bom ouvi-los...Na fala do Outro já vejo saltar um poema, que espera pra se dizer a qualquer hora...
Abraços