5 de junho de 2014

A filha primogênita do Abismo


100º Desafio Poético com Imagens - Arte: Jerry Uelsman



A mãe dizia
– Filha, não te
deixes emprenhar
pelos olhos; livra
teu corpo da cobiça
alheia; dá-te somente
àquele que creia na tua
face como portal para
o mais indecifrável
dos mistérios...

4 comentários:

António Eduardo Lico disse...

Bela poesia.
Abraço.

Cecília Romeu disse...

Taninha,
bela leitura!

Pois é, nem sempre seguimos os conselhos da mãe..., até sermos uma.


Desafio poético de número 100!
"Brinquei" ainda pouco com vocês. De minha parte, só tenho a te agradecer pela lembrança,incentivo e teu espírito agregador ímpar, obrigada!

Grande beijo alma linda!

jorge pimenta disse...

e quanto mais o rosto se define, menos sabemos de si, esse cometa fulgurante com rasto de sangue a estilhaçar sonhos e demência na alvura impossível do lençol...

beijos, taninha!

José Carlos Sant Anna disse...

Ler é desvendar mistérios? Fizeste-o bem, perseguindo este mar de solidões!...
Beijos, Tania!