31 de janeiro de 2012

Toda pedra é uma estrela sem céu


Precioso presente recebido do poetíssimo Sandrio Cândido (Obrigada, querido!)







A Tânia Regina Contreiras



Esqueço poemas de sangue em límpidos espelhos de bronze
a beira do mar. A praia é minha ultima casa neste mundo e
... todos os homens são meus irmãos. Tenho com eles a mesma sorte.
Levemente irromper no crepúsculo das horas. Morrer para
os relógios. Findar na boca dos calendários o tempo do corpo.

Sobre a minha cama ficou uma gota de chuva. A lagrima de Deus.
Ainda recitava uma prece quando ela tocou os meus ombros
e me revelou o jardim esquecido nas paginas amareladas da bíblia.
Está lá mas ainda não veio. Apenas a promessa parece alastrar
velas acesas no campo.Refugio para os sonhos do profeta...

Enraizei meus pés na terra, entretanto meus olhos escapam ao céu.
houve uma combustão de vozes dentro do meu quarto.
Eu nunca soube qual era a voz certa, foi por isto que deixei cair
meu corpo no oceano.mergulhei no abismo. Naufraguei para emergir.
Certas manhã sinto bater a água no solo dos meus pés.

O rio é uma rua d`água no jardim da minha casa. Portas de pedra
fecham os campos onde crescem os girassóis e lírios brancos
flores que seduzem as estrelas. Dependuradas nas noites,
elas descem para beijar a face dos homens que amam o vazio.

Fogem do céu e já não encontra a escada de volta
mudam-se em pedra.

Dentro das pedras ainda pulsa o sangue da estrela cadente
musica que os poetas tocam no ouvido do tempo.

Sandrio Cândido

12 comentários:

Assis Freitas disse...

poema reluzente de chão, de abóbadas terrenais, o horizonte lateja


parabéns Sandrio

beijo Tania

Celso Mendes disse...

Daquelas pedras, onde pulsa o sangue da estrela cadente, só o verdadeiro poeta conhece. E nos mostra assim, com palavras que podem ser música ou fogo.

Um belíssimo texto, Sandrio! Abraço.

Beijo Tânia, parabéns pela homenagem.

Joelma B. disse...

"toda pedra é uma estrela sem céu"... é por essa e outras que sempre agradeço a bênção de existirem poetas no mundo...hein,Tânia?

Beijinho carinhoso nos dois!

Salviano Adão disse...

Muito bom. Belo blog,boa postagem, parabéns.
Que Deus continue te usando e te abençoando
cada vez mais.

Wania disse...

Que liiiindo, Taninha! Merecida homenagem.

Poesia que deixa um rastro de luz! Parabéns ao Sandrio pela bela escrita.

Bj nos dois

cirandeira disse...

Belo poema! Parabéns ao poeta e
parabéns para Tânia que teve o privilégio de receber tão bela
oferenda!

beijoss

Janaina Cruz disse...

Tania minha querida, que poema lindo!

Sem dúvidas um ótimo presente.

Amei a beleza dos versos e a esperança que mora nas entrelinhas, salpicada de fé pela promessa que Deus fez a cada um de nós.

Também espero poder estar junto com todas as pessoas que amo, nesse jardim e vida eterna prometidos por Deus.

Um ótimo fim de semana minha querida que Deus te abençoe.

Jorge Pimenta disse...

"toda a pedra é uma estrela sem céu":
nessa orbe de onde brotam todas as nascentes, as mãos dos poetas triunfam sobre os triunfos das coisas pequenas.

abraço para ti, sandro; um beijinho à [justamente] homenageada, a nossa querida tânia!

Cris de Souza disse...

Merecidíssima homenagem à violeta, que esbanja poesia por onde quer que passe.

Beijosss.

LauraAlberto disse...

as pessoas especiais merecem sempre homenagens como esta

abraço
LauraAlberto

Bípede Falante disse...

Bonita água corre por entre essas palavras feitas com tantas correntes :)
Beijoss

Ana Claudia disse...

Talvez seja por isso que sempre gostei tanto de pedras. Às vezes mais que de estrelas.
Um abraço,
Ana Claudia