11 de agosto de 2010

Meu desejo ardendo a sós na treva imensa...

A Vigília de Hero

(Manuel Bandeira)
Tu amarás outras mulheres
E tu me esquecerás!
É tão cruel, mas é a vida. E no entanto
Alguma coisa em ti pertence-me!
Em mim alguma coisa és tu.
O lado espiritual de nosso amor
Nos marcou para sempre.
Oh, vem em pensamento nos meus braços!
Que eu te afeiçoe e acaricie...
Não sei por que te falo assim de cousas que não são.
Esta noite, de súbito, num aperto
De coração tão vivo e lancinante
Tive ao pensar numa separação!
Não sei que tenho, tão ansiosa e sem motivo.
Queria ver-te... estar ao pé de ti...
Cruel volúpia e profunda ternura dilaceram-me!
É como uma corrida em minhas veias
De fúrias e de santas para a ponta dos meus dedos,
Que queriam tomar sua cabeça amada,
Afagar tua fronte e teus cabelos,
Prender-te a mim porque jamais tu me escapasses!
Oh, quisera não ser tão voluptuosa!
E todavia
Quanta delícia ao nosso amor traz a volúpia!
Mas faz sofrer...inquieta...
Ah, com que poderei contentá-la jamais?...
Quisera calma-la na música...Ouvir muito, ouvir muito...
Sinto-me terna...e sou cruel e melancólica!
Possui-me como sou na ampla noite pressaga!
Sente o inefável! Guarda apenas a ventura
Do meu desejo ardendo a sós
Na treva imensa...Ah, se eu ouvisse a tua voz!






39 comentários:

Juci Barros disse...

Que delícia são clássicos assim, sempre falam de nós.
Beijos.

lucidreira disse...

Manoel Bandeira neste poema eleva os sentimentos ao Deus que foca no amor e na paixão, deixando seus pensamentos fluirem como se fossem um sonho.
Abraço

Primeira Pessoa disse...

dark, tania...
fiquei com essa sensação de abandono ao ler e ver.
repetidamente.

abração,
r.

A.S. disse...

Oferece-me a beleza das tuas cores únicas
E dissolve-te comigo na mais bela tela de amor…

BeijOOO
AL

Zélia Guardiano disse...

Tania querida
Que belo poema selecionaste para , com ele, nos brindar...
Só quem tem sensibilidade aguçadíssima consegue escolher algo assim!
Grata, pelo momento mágico de leitura que me proporciona...
Imenso abraço

lili laranjo disse...

Adorei a poesia e a IMAGEm


OLHANDO…



Sentada nas escadas frias
Com o rosto entre as mãos
Olho e vejo tanta coisa linda…

Crianças que brincam…
Homens que jogam à malha…
Mulheres que conversam…

Sinto a felicidade desta gente…
Sinto que o mundo ali parou…
E como esta gente é feliz…

E que o mundo cheio de guerra…
Cheio de ódio e desilusões…
Fica lá muito longe…
E pensam que nunca chegará ali…






Lili Laranjo

Bloggirls disse...

Uma beleza de poema,primoroso! Quantos não se contentam,impossíveis de agradar?
Amei a escolha. Parabéns por essa aula de poesia do Manoel.Montão de bjs e abraços

Assis Freitas disse...

Querida Tânia, após "De coração tão vivo e lancinante" faltou o verso "Tive ao pensar numa separação". No mais, queria te agradecer por ter lembrado desse poema do Bandeira. Prá mim foi uma surpresa relê-lo e observar a voz feminina que o poeta canta, Hero é uma personagem da mitologia grega, apaixonada por Leandro que atravessava o Helesponto a nado para encontrar a amada. Ele sempre deixava uma tocha acesa na praia como forma de orientação na volta, mas um dia o temporal apagou a tocha e ele perdeu-se no mar e sucumbiu. A perda no poema se dá justamente porque Hero não sabe da fatalidade e põe-se a imaginar as suas desventuras de amante.

Beijo

Assis Freitas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gerana Damulakis disse...

"Ontem, hoje, amanhã/ a vida inteira; seu nome, Manuel, é para nós, bandeira. CDA, citado de memória, desculpe alguma falha.

Tania regina Contreiras disse...

Homenagem de Poeta para Poeta, não? Dois grandes...Beijos, Gerana

Tania regina Contreiras disse...

Assis, grata pelacorreção. Na edição, um verso foi suprimido sem querer. Sim, uma bela história, um belo poema.
Obrigada, querido, pela visita

Tania regina Contreiras disse...

Boggiris, que bom que gostou da postagem. Eu amo esse poema e a história...bem, leia nos comentários de Assis.
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Lili, a casa é sua, voltesempre. Que bom que gostou.
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Zélia, querida, que bom que lhe ofertei algo hoje que agradou! Pararetribuiros tantos belos poemas comos quais você nos presenteia.
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

A. S., obrigada pela visita, e um grande abraço!

Tania regina Contreiras disse...

Ah, Roberto, o poema é lindo, a história dele é triste, mas é linda também.
Beijão.

Tania regina Contreiras disse...

Lu, veja nos cometários de Assis a origem do poema, ainspiração... É uma bela história.
Obrigada pela visita, e beijos

Tania regina Contreiras disse...

Juci, a mitologia sempre nos diz respeito, né? Obrigada pela visita.
Beijos

Fouad Talal disse...

"Bandeira a vida inteira"

Saúde!
bjo

Machado de Carlos disse...

São as marcas deixadas por um amor absoluto. Poderá sim, haver volúpia, mas não com a sensibilidade do amor profundo.
As volúpias poderão ser encontradas em qualquer esquina, mas faltará sem dúvida o liame do amor.
Belíssimo poema! Vale à pena senti-lo!

Jorge Pimenta disse...

a voz deste poema confunde-se com as palavras da vida que sei que existem mas não sei dizer...
um beijinho!

Tania regina Contreiras disse...

Fouad, não é o máximo mesmo o Bandeira?
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Machado, volúpias, volúpias de verdade, não...são raras! :-)
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Nem tudo é traduzível, né Jorge? Às vezes, tantas vezes...o silêncio!
Beijos

ju rigoni disse...

Versos a expressar a tormenta de uma difícil travessia. Grande Manuel Bandeira!

Bjs, Tania. E inté!

Mgomes - Santa Cruz disse...

olá Tánia Linda poesia de Manuel Bandeira, adorei imenso apesar de não conhecer nada de Manuel Bandeira a não Os posts que aparecem de vez em quando nos blogs.
Um beijo
Santa Cruz

Wania disse...

Tania querida

A "voz" de Manuel Bandeira cala fundo, sempre!

Obrigada pela partilha!



Bj grande

PS: agradeço a tua presença sempre tão carinhosa no meu cantinho!

Mar Arável disse...

Tudo muito belo

Fla, disse...

Lindo, lindo o poema!!
Uma dor de ausência traduzida de forma doce...

Tenha uma linda sexta- feira!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Este poema me pegou em cheio...

...muito bom!

beijos

Andrea de Godoy Neto disse...

lindo esse poema...Bandeira sempre me dói.

beijos

Tania regina Contreiras disse...

Beijos, Ju, grata pela visita...

Tania regina Contreiras disse...

Santa Cruz, leia Bandeira, que foi e continua sendo genial..
Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Oi Wania, bom te ver aqui. Beijão

Tania regina Contreiras disse...

Mar Aravél, obrigada. Grande abraço

Tania regina Contreiras disse...

Fla, obrigada, pra vc um domingo legal. Bjos

Tania regina Contreiras disse...

Juan, é lindo sim...Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Bandeira de doi, Andrea? Mas é lindo de doer mesmo...
Beijos